Dívida protestada é quando uma empresa ou pessoa deixa de pagar um título e o credor formaliza essa dívida registrando em cartório. O protesto é também, um meio seguro, legal e eficiente de cobrar uma dívida.
 
Entretanto, a dívida protestada pode se tornar uma situação complicada. Como já mencionamos nesse texto, é importante entender o cenário de cada cliente antes de protestar uma dívida.
 
Cada caso pode ser diferente e uma inflexibilidade no momento de negociar a dívida pode trazer
complicações no relacionamento com o cliente e até dificultar a recuperação do crédito.
 
No entanto, se você já tomou todas as iniciativas de cobrança amigável e não foi possível receber o título inadimplente, ou então o próprio devedor não demonstra nenhum interesse em negociar o pagamento, esse
seria o momento certo de protestar a dívida.
Afinal, você deve sim receber pelo serviço ou produto que ofereceu.
 

Então como funciona uma dívida Protestada?

 
Se você é uma empresa que já trabalha com cobrança bancária, basta comandar a instrução de protesto no
site do seu banco. Ou, você pode fazer o protesto diretamente no cartório.
 
Quando apresentar um título ou um documento de dívida para protestar, o cartório vai examiná-lo. Em
caso de irregularidade, o título será devolvido para que a falha seja corrigida.
Se o título estiver em ordem, será enviada uma intimação para o devedor.
 
Lembrando que, é de responsabilidade do devedor, no momento do pagamento da dívida ou do cancelamento
do protesto, também arcar com os custos do protesto.
 
No caso do título em ordem, o devedor tem 3 dias úteis para comparecer ao cartório para quitar sua dívida e
pagar os custos o cartório. Dessa forma, o protesto não é lavrado e o devedor não fica com o nome sujo.
 
Dentro desses 3 dias úteis também pode ocorrer uma desistência ou cancelamento do protesto, geralmente quando há uma negociação entre as partes e o pagamento do título é realizado, ou um acordo.
Assim, o título pode ser retirado antes do protesto, ato que também é de responsabilidade do devedor.
 
 
 
Nos siga nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *