Para as empresas do setor financeiro, a consequência da análise do risco de crédito de um determinado
cliente sobre a decisão de lhe ceder ou não um empréstimo, é de suma importância.
Continue lendo e entenda o por quê.
 

Afinal, o que é o risco de crédito?

Risco de crédito é a possibilidade do credor, que é a pessoa que faz um empréstimo enfrenta quando o
devedor, quem pediu o empréstimo, não cumprir com as suas obrigações. Ou seja, o risco de inadimplências.
 
O processo de concessão de crédito é um processo que envolve riscos e as empresas já possuem uma
preocupação em avaliar o cliente no momento da concessão do crédito.
 
De modo geral, na prática das empresas, verifica-se se o cliente está em uma situação que o impeça da
aprovação do crédito. Sendo esse filtro:
 
  • A verificação do CPF ou CNPJ ativo;
  • Se possui algum atraso;
  • Se possui alguma restrição.
Em caso de não possuir nenhum impedimento, então o crédito é aprovado.
 
No entanto, em nenhum momento se fala sobre os riscos. Analisar os riscos, é prever que um bom pagador
venha a se tornar um inadimplente na carteira da empresa num futuro próximo.
 
Segundo o Sebrae, uma metodologia de análise muito utilizada entre as instituições do mercado financeiro
é a dos C’s do Crédito:
 
  • Caráter: São informações referentes à índole, idoneidade e reputação do cliente no mercado. São            analisadas, as transações efetuadas no passado;
 
  • Capacidade: Analisa-se as receitas e despesas da empresa solicitante do crédito para concluir se a mesma dispõe de condições para saldar a dívida;
 
  • Capital: Informações referentes à estrutura de capital, endividamento, liquidez, lucratividade e outros     índices financeiros obtidos por meio dos demonstrativos financeiros do cliente;
 
  • Colateral: É a capacidade da empresa ou dos sócios em oferecer garantias ao empréstimo. Pode citar equipamentos da empresa, imóveis, ativos, entre outros;
 
  • Condições: Informações referentes à atual situação financeira do cliente, suas perspectivas e potencial          para crescimento ou declínio e à capacidade dos administradores de se adaptarem a situações           conjunturais;
 
  • Conglomerado: São informações da situação de outras empresas situadas num mesmo grupo econômico            e como poderão afetar a empresa em estudo.
 
Para concluir, a análise de risco de crédito é um processo indispensável em qualquer contexto.
Pois apenas dessa forma é possível garantir a regularidade financeira da empresa com clientes bem
qualificados e, portanto, estar menos suscetível a problemas como a inadimplência.
Para mais informações, entre em contato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *