Buscar
  • Comax

Bancos chineses se preparam para aumento da inadimplência no pós-covid




Quatro dos cinco maiores bancos chineses aumentaram suas provisões contra a inadimplência no pós-covid. Ainda assim, os cinco registraram suas maiores quedas de taxa de lucro da última década, e relataram que houve um aumento nos empréstimos inadimplentes ao anunciar essa queda.


O CCB (China Construction Bank Corp), que é conhecido por ser o segundo maior credor do país, relatou que irá avaliar os riscos de crédito e aumentar mais ainda as provisões. Além dele, o Banco de comunicações da China disse em agosto de 2020 que o aumento das provisões foi feito para tentar conter o impacto da pandemia, visando uma contenção de danos levando em consideração o aumento da inadimplência no pós-covid.



Recuperação econômica pós-covid


A recuperação econômica pós-covid parece um objetivo distante para grande parte dos países, entretanto, como os bancos chineses se preparam para o aumento da inadimplência no pós-covid esse horizonte de recuperação é mais palpável.


A China continua com seu PIB em destaque, sendo impulsionado pelo dinamismo do seu mercado e pela junção de preparação para o aumento da inadimplência no pós-covid e na manutenção do controle do vírus.


O Coronavírus acertou em cheio a China no primeiro trimestre de 2020. Sendo o responsável por uma queda de quase 7%, sendo a primeira queda em meio século, visto que a primeira é registrada em 1976 durante a Revolução Cultural e posterior morte de Mao Tsé-Tung.


Contudo, entre abril e junho o país deixou os números negativos para trás e recuperaram 3,2%, o que já indicava que o pior já havia passado, diferente do resto do mundo.



A China atual


A China é atualmente a única entre os G-20 com perspectivas de crescimento em um ritmo agradável. O que é o principal objetivo dos líderes chineses, onde através do Comitê Central irão buscar traçar as linhas do 14° plano quinquenal que é um marco para a preparação do pós-covid, valendo até 2025.


Mesmo com o aumento da inadimplência no pós-covid já ocorrendo, a China tem planos que visam a transformar em líder global economicamente e também, como maior influência internacional.


O que não é um objetivo tão distante, já que faz alguns anos que o comércio e investimentos estrangeiros não são de suma importância para a China. É importante saber que, a porcentagem do comércio de bens no PIB caiu de quase 50% no ano de 2008 para praticamente 30% atualmente, levando em conta que o país expandiu suas cadeias internas de suprimentos, e trabalha para expandir mais ainda.